Otorrinolaringologista é fundamental na indicação, escolha e ajuste de aparelho auditivo

Nem pense em comprar um aparelho auditivo sem consultar um otorrinolaringologista. A compra e a utilização destes dispositivos sem recomendação médica podem provocar danos à audição, e atrasos no diagnóstico e tratamento de doenças, como tumores cerebrais e de ouvido. O alerta é de Paulo Roberto Lazarini, presidente da Sociedade Brasileira de Otologia.

Lazarini lembra que não há somente uma forma de combater a surdez. "De acordo com o caso, podemos indicar medicamentos, cirurgias ou aparelhos auditivos. Mais recentemente, passamos a contar com a avançada tecnologia do implante coclear."

Somente o otorrino pode avaliar as condições do ouvido para uso do aparelho. Cera, descamação da pele e alergias no ouvido impedem o bom aproveitamento destes equipamentos. O médico, além disso, verifica qual o modelo mais indicado para o formato da orelha, e detecta eventuais falhas no aparelho ou na colocação da bateria.

O otorrino também pode ajudar os pacientes a superar preconceitos por fatores estéticos ou dificuldade de admitir a deficiência auditiva. "Mostramos a eles que os ganhos com uma audição melhor superam quaisquer restrições de ordem pessoal", observa.

É importante, também, a participação do médico no processo de adaptação ao aparelho. "Alguns idosos demoram mais a se ajustar ao novo hábito, especialmente quando têm um canal de orelha estreito, ou estão frequentemente em ambientes barulhentos."